Translate

segunda-feira, 30 de maio de 2011

A mente, a chuva e a noite

A mente, a chuva e a noite.

Um noite de chuva, uma boa xícara de café, um cobertor e pensamentos soltos na mente, ócio construtivo misturado com gestos de auto piedade, musica solta pelo ar, amores preso ao coração.

Pequenos pedaços de emoções, misturados com doses de solidão, como deixar de ser apenas um ponto, uma virgula na multidão, para ser referencia, um norte, um pequeno facho de luz na escuridão na mente das pessoas. A cidade é uma pequena maquina imperfeita, não para, gira e gira e gira, realizando e destruindo planos, e a noite com a chuva, vem para lavar, renovar ou destruir pensamentos e sonhos.

E assim simplesmente se vive, puramente se pensa, sem sair de um sofá os olhos piscam e tudo começa e recomeça novamente, um bom filme, um bom livro, um abraço, um adeus, um até logo, logo um beijo para acalmar, mais um pouco do aroma de café para saborear.

Pesquisar este blog