Translate

sexta-feira, 10 de fevereiro de 2012

Ás Horas

Ás horas

Enquanto caminho pela casa
Os passos parecem tomar forma,
Espaço e lugar.
Olho para velha parede,
E o relógio com seu interminável
Contar de tempo, parece voar.
As horas são como meses
Os minutos são como dias,
E os segundos são como horas.
E sem perceber, pisco os olhos,
E as horas voam,
Olho para meu amor,
E os minutos passam.
E quando me bate a saudade,
Os segundos parecem pairar no ar.
Sem perceber, o tempo me traz rugas,
Marcas, sem ver, cabelos brancos, voz rouca.
E quando me dou conta, a vida passou,
Tão rápido como uma volta do velho relógio ali, na parede.

Pablo Danielli




Pesquisar este blog