Translate

terça-feira, 26 de fevereiro de 2013

Desigual



It's great moral lesson
For low intellectual capacity,
It's a lot of people wanting to divide
Without opening his own hand.
It is error for wanting
For little solution.
It's very kind
Wanting to become cloak newspaper.
It is very normal people
In a world so unequal.

Pablo Danielli




É muita lição de moral
Pra pouca capacidade intelectual,
É muita gente querendo dividir
Sem abrir a própria mão.
É muito erro por querer
Para pouca solução.
É muita bondade
Querendo virar capa de jornal.
É muita gente normal
Em um mundo tão desigual.

Pablo Danielli

segunda-feira, 25 de fevereiro de 2013

Ten Commandments For a Better World.

Ten Commandments For a Better World.


One. Say good morning. It is the first step when you wake up, when everything begins, therefore, even in a bad mood, even sleeping badly, good day, people's fault if they have hand problems, time this, everyone has a bad mood and cash will not solve anything.


2nd. Smile. The smile disarms the bad humor, the smile is the presentation card of good things, when you smile at someone, you will always be rewarded, the smile makes people more beautiful. Be someone beautiful smile!




3rd. Apologize. All make mistakes, admit the mistake is to show that we are prepared to change. And the change is always one step to be better. Apologizing is not humble yourself is to admit to the next that we are human, and today is what we need most.


4th. Thank. No matter the place or time to time, thank you for something you did, or what helped us win, it's best to say that the person is important and that she can always help us, without fear or fears.




5th. Forgive. We are not born ready to forgive, is something that we are only good with practice, and practice forgiveness is good for the heart! Since a word misplaced, there is a wrong attitude, we must forgive, to live without fear or rancor is the best way to be happy. Forgiveness shows us how noble this gesture is and how best we can be.


6th. Change your habits. Change your attitudes, better enjoy your time in life, she has no right date, has no expiration date, happens now, therefore live better.




7th. Help the next. Think of a better world, but it has to be equal, with rights and duties for everyone, with opportunity for all, for this helps the next, the way you can, in a simple or more elaborate with attitudes, no matter the world changes only if you help him change.


Eight. Think of the future while the present. Make plans for 5, 10 or 15 years, but do not forget to live your daily life, do not forget to enjoy the good moments that are unique and you data like this, treasure who is on your side, your gift is nothing more what is the future as planned and waited for you ha moments ago.




9th. Abuse of colors. Living in a world of colors escape the gray, the colors brighten, give life to people, objects, cities. A colorful world is a better world, escape the melancholy that puts you down, sad, leave everything more fun.

10. Live with love. Fall in love for life, is the best way to be happy, to understand it, there is nothing absolute and exciting life. Love everything she gives you, because it can also take away. Therefore living with love, alive in a unique way, enjoy every second, because he does not return.


Pablo Danielli


Dez Mandamentos Para um Mundo Melhor.

1. Diga bom dia. É o primeiro passo, quando você acorda, quando tudo começa, por tanto, mesmo de mau humor, mesmo dormindo mal, de bom dia, as pessoas mão tem culpa se têm problemas, hora essa, todos têm e descontar com mau humor não irá resolver nada.

2. Sorria. O sorriso desarma o mau humor, o sorriso é o cartão de apresentação de coisas boas, quando você sorri para alguém, você sempre será retribuído, o sorriso deixa as pessoas mais bonitas. Seja alguém bonito, sorria!


3. Peça desculpas. Todos erramos, admitir o erro é mostrar que estamos preparados para mudança. E a mudança é sempre um passo para ser melhor. Pedir desculpas não é se humilhar é admitir para o próximo que somos humanos, e hoje em dia é o que mais precisamos.

4. Agradeça. Não importa o momento o lugar ou a hora, agradecer por algo que fizemos, ganhamos ou que nos ajudaram, é a melhor forma de dizer que a pessoa é importante e que ela pode sempre nos ajudar, sem medo ou receios.


5. Perdoe. Não nascemos prontos para perdoar, é algo que ficamos bons apenas com a pratica, e praticar o perdão faz bem ao coração! Desde uma palavra mal colocada, há uma atitude errada, devemos perdoar, viver sem receios ou rancor é a melhor forma de ser feliz. O perdão nos mostra o quão nobre é esse gesto e o quão melhores podemos ser.

6. Mude seus hábitos. Mude suas atitudes, aproveite melhor seu tempo, a vida, ela não tem data certa, não tem prazo de validade, acontece agora, por tanto viva melhor.


7. Ajude o próximo. Pense em um mundo melhor, mas para isso tem que ser igual, com direitos e deveres para todos, com oportunidades para todos, para isso ajude o próximo, da forma que você puder, de uma forma simples ou com atitudes mais elaboradas, não importa o mundo só muda se você ajudá-lo a mudar.

8. Pense no futuro sem deixar o presente. Faça planos para 5, 10 ou 15 anos, mas não se esqueça de viver seu dia a dia, não se esqueça de aproveitar os bons e únicos momentos que são lhe dados como presente, valorize quem está ao seu lado, o seu presente nada mais é do que o futuro tão planejado e esperado por você ha instantes atrás.


9. Abuse das cores. Viva em um mundo de cores fuja do cinza, as cores alegram, dão vida às pessoas, aos objetos, as cidades. Um mundo colorido é um mundo melhor, fuja do melancólico do que te deixa pra baixo, triste, deixe tudo mais divertido.

10. Viva com amor. Apaixone-se pela vida, é a melhor forma de ser feliz, de compreendê-la, não existe nada mais absoluto e instigante que a vida. Ame tudo que ela lhe der, pois ela também pode tirar. Por tanto viva com amor, viva de uma forma única, deguste cada segundo, pois ele não volta mais.

Pablo Danielli

sábado, 23 de fevereiro de 2013

Jungle


jungle

This concrete jungle
In constant motion,
Made of dreams, tears,
Made of people.
So many streets that intersect
Smiles appear suddenly
Signs that say nothing
Looks who indulge, so no more
Surprisingly.
Days ash, good for new loves,
A cup of tea, disinterest!
The madness of a large beehive
That runs through the veins of these people
Pretending to be people.
The concrete, dust, asphalt,
An addictive drug
What, who lives just that for a moment,
Can not get out.
It is the enjoyment of pleasure
Who now can not live without
The harsh words, looks sad,
Hiding-shaped architecture
Eluding any survivors.

Pablo Danielli


Selva

Essa selva de pedra
Em constante movimento,
Feita de sonhos, lagrimas,
Feita de gente.
Tantas ruas que se cruzam
Sorrisos surgem de repente,
Placas que nada dizem
Olhares que se entregam, assim sem mais,
Supreendentemente.
Dias cinzas, bons para novos amores,
Uma xicara de chá, desinteresse!
A loucura de uma grande colmeia
Que corre nas veias dessas pessoas
Que fingem ser gente.
O concreto, o pó, o asfalto,
Uma droga viciante
Que, quem vive isso mesmo por um instante,
Não consegue mais sair.
É o gozo de prazer
De quem já não consegue viver sem
As palavras duras, olhares tristes,
Que se escondem em forma de arquitetura
Iludindo qualquer sobrevivente.

Pablo Danielli

Cry Freedom


Cry Freedom

A long, dark clouds
Loom on the horizon,
Times where doubts
Are put on pallets,
Of gray tones.
The October offers us no
With new life,
And just as vain and presents
The road follows.
Made a cage
The concrete blocks,
They try to stifle my voice.
Iron dolls
In vain attempt to hide,
The expression of the people.
They can hold my body
But my ideas remained free.

Pablo Danielli


Grito da liberdade

Há muito, nuvens escuras
Espreitam o horizonte,
Tempos aonde duvidas
São postas em paletas,
De tons cinza.
O Outubro não nos brinda
Com nova vida,
E tão só e vã se apresenta
A estrada seguida.
Feito uma jaula
Os blocos de concreto,
Tentam sufocar minha voz.
Bonecos de ferro
Em vão, tentam esconder,
A expressão do povo.
Eles podem prender o meu corpo
Mas minhas idéias continuaram livres.

Pablo Danielli


The lifetime


The lifetime

I saw a man
And it was sad,
His calloused hands
And in his solhos the word hunger.

I saw a man
Mistreated by life
With childhood dreams
By the time it was stolen.

I saw the pain this man
Could for seconds, feel his despair,
The empty nights and days of solitude
So I sat beside her and cried.

There was no house, no money,
There was no table or a spice,
There was half words
Only whole truth.

And for this man
Without meaning given,
It was left to suffer for their short life
The entire life.

Pablo Danielli


A vida inteira

Eu vi um homem
E nele havia tristeza,
Suas mãos calejadas
E em seu solhos a palavra fome.

Eu vi um homem
Maltratado pela vida,
Com sonhos de criança
Pelo tempo que lhe foi roubado.

Eu vi a dor deste homem
Pude por segundos, sentir seu desespero,
As noites vazias e os dias de solidão
Então sentei ao seu lado e chorei.

Não havia casa, não havia dinheiro,
Não havia mesa ou algum tempero,
Não havia meias palavras
Somente verdade por inteiras.

E para este homem
Sem um sentido definido,
Coube sofrer por sua curta vida
A vida inteira.

Pablo Danielli

Evidence


evidence

The extent to which we hold our morals, if not that we are being required to overcome the very concepts in order to move forward. There immorality that exists in our subconscious is merely a gauge of interest, ready to change, as the gain is real future.
We demonstrate this clearly in an election of representatives in a dialogue that does not want to come out as losers, or to expose ideas and concepts in general, trying to convince a second or third listener.
Our ego to want to hear our own voice, we become blind to the arguments that may be inconsistent or may be correct, we want more and more attention. How big kids waiting for a reason to make tantrum, lost the exact point of reason, we need to constantly be in evidence.

Pablo Danielli


Evidencias

Até que ponto sustentamos nossas moralidades, se não aquele que nos encontramos sendo necessário ultrapassar os próprios conceitos para poder seguir adiante. Há imoralidade que existente em nosso subconsciente não passa de um medidor de interesses, pronto para mudar, conforme o ganho futuro seja real.
Demonstramos isto de forma clara em uma eleição de representantes, em um diálogo que não queremos sair como derrotados, ou ao expor idéias e conceitos de uma forma geral, tentando convencer um segundo ou terceiro ouvinte.
O nosso ego em desejar ouvir nossa própria voz, nos torna cegos para argumentos que pode ser inconsistentes ou podem estar corretos, desejamos mais e mais atenção. Como grandes crianças a espera de um motivo para fazer birra, perdemos o exato ponto da razão, precisamos constantemente estar em evidencia.

Pablo Danielli

Love, Amor


"Love is the greatest pain that may exist. Yet it is also the greatest joy that one can feel."

Pablo Danielli


"O amor, é a maior dor que pode existir. Mas também é a maior alegria, que alguém pode sentir".

Pablo Danielli

Poetry, Poesia


"Poetry is traveling
Vai as life and back
As the feeling. "

Pablo Danielli


"A poesia é itinerante
Vai conforme a vida e volta,
Conforme o sentimento."

Pablo Danielli

sexta-feira, 22 de fevereiro de 2013

Doubt, Duvida



doubt




The tenuous balance

Absent in mind

The enslaves duties by

Bought.




The lack of doubt

Transforms the face

In Lamb,

Ready to be immolated.




Lame truths

Inflated prophetic words,

There is no sign of reason

Amid the organized chaos.




stupendous mastery

In old following warning signs,

Murdering one's own freedom

To take comfort in life.




Pablo Danielli




Duvida

O equilíbrio tênue
Ausente na mente
O escraviza por deveres
Adquiridos.

A falta da duvida
Transforma a face
Em cordeiro,
Pronto para ser imolado.

Capenga de verdades
Inflada de proféticas palavras,
Não há sinal de razão
Em meio ao caos organizado.

Estupenda maestria
Em seguir velhas sinas,
Assassinando a própria liberdade
Para ter conforto na vida.

Pablo Danielli

quinta-feira, 21 de fevereiro de 2013

Stormy days, Dias de tempestade

Stormy days

What is really real, lived that moment, meaning it can be confused with a dream, with truths and half-truths. The mind plays tricks on us or are our attitudes that play tricks on our minds.
The madness would be only a vanishing point to something that does not exist or would be just the opposite, we would be able to believe in words of something that never existed, or ever have palpable as the only condition of beliefs and customs.
Discover the wheel every day, be able to reinvent itself every second, touching the invisible to the eye, reverse the order of normal, putting right and wrong, good and bad at confrontation liability, would be able to withstand or cope with facts or lack thereof?
The storms that haunt us, make our inmost being in a permanent navigate whitewater sometimes we miss the detail that is precisely the detail that we lack to solve what kind of world we are living.
We all have fears, we all have fears, not the dark, or something that we were told in childhood, but fail, employee of silence in half sentences barely spoken, written or oral, fear of being seen as a failure by a company that in most cases, if you know of its existence.
So we live in that world really, that endless struggle we win, we are living in a real world, or just is a trick played by our mind, to disguise the madness and every one of us. Where to run, seek shelter when the storm is just within us.

Pablo Danielli


Dias de tempestade

O que realmente é real, que instante vivido, sentido, pode ser confundido com sonho, com verdades ou meias verdades. A mente nos prega peças ou são nossas atitudes que pregam peças em nossas mentes.
A loucura seria apenas um ponto de fuga para algo que não existe ou seria justamente o contrario, seriamos capazes de acreditar em palavras de algo que nunca existiu, ou sempre temos o palpável como única condição de crenças e costumes.
Descobrir a roda todos os dias, ser capaz de se reinventarmos a todo segundo, tocar o invisível aos olhos, inverter a ordem do normal, colocar o certo e o errado, o bom e o ruim em confronto passivo, seriamos capazes de suportar ou lidar com os fatos ou a falta deles?
As tempestades que nos assombram, fazem nosso intimo estar em um permanente navegar por águas bravas, por vezes o detalhe que deixamos passar, é justamente o detalhe que nos faz falta para resolvermos em que tipo de mundo estamos vivendo.
Todos temos medos, todos temos temores, não do escuro, ou de algo que nos foi dito na infância, mas sim de falhar, do silencio empregado em meias frases mal faladas, escritas ou ouvidas, temor de ser visto como fracasso, por uma sociedade que na maioria das vezes, se quer sabe da sua existência.
Então em que mundo realmente vivemos, que luta sem fim queremos ganhar, estamos a viver em um mundo real, ou apenas é uma peça pregada pela nossa mente, para disfarçar a loucura existente nem cada um de nós. Para onde correr, procurar abrigo, quando a tempestade é justamente dentro de nós.

Pablo Danielli

Dictating fashions and trends,


Dictating fashions and trends


And the victims of hunger here? The country is heading towards a dark side, where the people are achincalhado by unscrupulous politicians and without the slightest sense of ethics possible. How many times in the morning when you open the newspaper we encounter on our news preposterous "noble and rich country," such as political marriage, vote buying, corruption, corruption and more corruption, but not dear readers, for it is not the politicians enough, have to do more harm to the Brazilian people, have to confront even more common sense on the part of whoever is in charge has to have the fun, the slap in the face of the people.
Unsurprisingly for anyone with the total neglect notorious in Brazil, the population has no health, no job, and no study, but it has purse or bag that works more or less like this, and I'll pay you in calms his corner, and elections still give me a forcinha! But still they dare to challenge us, to see how far this will go into the Brazilian people vegetate in front there is a television, just seeing, hearing and saying: My God! Again! Or simply, no way, everything is lost.
Yes that is right, we're passive corruption, we are part of it, because we know of its existence and not take any action, we are corrupt as our government, but the fashion of our commanders is now another kind, because they are making the policy a catwalk, always throwing "trends", and the new season features the wave of charity to other countries, as or more corrupt than ours. Now turn a country "holy", which helps poor people from other countries notorious, simple as that.
Our dear president with his utopian vision, to be seen as a good steward for the world, now donates millions to our neighbors, to our neighbor who is not, or who only says "friend", it's amazing how they discovered the vocation of kindness in Brazil, are a kind of bank friend, who lends and gives without expecting to get anything back, but ask for a Brazilian citizen go to a bank and ask for money back home in a straitjacket, given how crazy this is the sense of justice of our rulers.
But Brazil today according to our leaders is a first world country, not much better than this, because first world countries do not give the way our country is lovely, surely there must be a lot of people laughing at people Brazilian, because instead of taking care of our problems, we agree that there are many, our politicians prefer to take care of another country, well, this should be another trend of the season, one more fashion, to be paraded on the catwalk of impunity, corruption and inequality our kind in Brazil.

Pablo Danielli


Ditando modas e tendências


E as vitimas da fome daqui? O país caminha para um lado sombrio, aonde o povo é achincalhado por políticos sem escrúpulos e sem o menor senso de ética possível. Quantas vezes pela manhã ao abrir o jornal nos deparamos com noticias estapafúrdias sobre nosso “nobre e rico país”, tais como políticos casados, compra de votos, corrupção, corrupção e mais corrupção, mas não caros leitores, isto para os políticos não é o suficiente, tem que se fazer mais para prejudicar o povo brasileiro, tem que se afrontar ainda mais o bom senso, da parte de quem esta no comando tem que ter o sarro, o tapa na cara do povo.
Não é novidade para ninguém o total desleixo com os famigerados no Brasil, a população não tem saúde, não tem emprego, e não tem estudo, mas tem bolsa isso ou bolsa aquilo, funciona mais ou menos assim, eu pago e você fica quietinho no seu canto, e nas eleições ainda me da uma forcinha! Mas ainda assim eles ousam em nos desafiar, em ver até aonde vai essa vontade do povo brasileiro em vegetar em frente há um aparelho de televisão, apenas vendo, ouvindo e dizendo: Meu deus! Mais uma vez! Ou simplesmente, não tem jeito, esta tudo perdido.
Sim é isto mesmo, estamos passivos com a corrupção, fazemos parte dela, pois sabemos da sua existência e não tomamos qualquer atitude, somos corruptos tanto quanto nossos governantes, mas a moda dos nossos amáveis comandantes agora é outra, porque estão fazendo da política uma passarela, sempre lançando “tendências”, e a nova estação apresenta a onda de caridade para outros países, tão ou mais corruptos que o nosso. Agora viramos um país “santo”, que ajuda os pobres coitados famigerados de outros países, simples assim.
Nosso querido presidente com sua visão utópica, por ser visto como um bem feitor pelo mundo, agora doa milhões, para nossos vizinhos, para quem não é nosso vizinho, ou para quem apenas se diz “amigo”, é incrível como descobriram a vocação da bondade no Brasil, somos uma espécie de banco amigo, que empresta e dá, sem esperar receber nada de volta, mas peça para um cidadão brasileiro ir até um banco e pedir dinheiro, volta para casa em uma camisa de força, dado como louco, este é o senso de justiça dos nossos governantes.
Mas o Brasil hoje de acordo com nossos governantes é um país de primeiro mundo, não muito melhor que isto, pois países do primeiro mundo não fazem doações da forma que o nosso amável país faz, com toda a certeza deve haver muita gente rindo do povo brasileiro, pois ao invés de cuidar dos nossos problemas, convenhamos que são muitos, nossos políticos preferem cuidar de outro país, bom, esta deve ser mais uma tendência da estação, mais uma moda, para ser desfilada na passarela da impunidade, desigualdade e corrupção no nosso bondoso Brasil.

Pablo Danielli

Meanings


Meanings


If I push the chest and gives me the right to suffer, can not be love if the change day into night, if confused feelings and atordôo my own mind, has to be something beyond the casual madness.
It would be a sweet mystery is not so clear in front of my eyes, my flaws are present always, almost subtly showing the fraction of humanity I have left amid much disbelief. The weight of my choices became heavier than you might imagine or endure, poor young man who has not imagined consequences when the consequences are life itself.
Dying multiple times on the same day, reborn several times a wink, in the hope of beating wings of a butterfly, pure and simple but delicately dangerous to the point of questioning if really worth it.
But something always knocks on my door, so insistent beats as if for the first time, but with the subtlety of who beats one last chance, waiting to enter, to leave something old, no more, only light and darkness that routinely insist to dictate the pace of something we consider this normal, or in some celestial plane.
Slowly the poison the many looks makes its effect slowly boggles the mind, sowed little doubt that gradually become great devourers of confidence. Leaving what we consider safe, shaken by the heat of words already tired of being repeated, only showing a huge gap, a void, which overflows with a poor foolish heart.
There is no world beyond what we can touch, no feeling beyond what I feel, no air beyond what I can breathe and there is no faith that can not be shaken by weakness of a single moment, a single touch. The world fits inside a dangerously overpowering I silently conqueror, though only, by their own choices.
It is something incomprehensible, where the mystery and perhaps because it always is present, the doubt is part of something banal, and there are no certainties, the point may be the original or can be considered the end, just depends on the way in which is seen or felt.

Pablo Danielli


Significados


Se me aperta o peito e me da o direito de sofrer, não pode ser amor, se troco o dia pela noite, se confundo os sentimentos e atordôo a minha própria mente, tem que ser algo além da loucura casual.
Seria um doce mistério se não estivesse tão claro a frente de meus olhos, meus defeitos sempre se fazem presentes, quase que sutilmente mostrando a fração de humanidade que me resta em meio a tanta descrença. O peso de minhas escolhas se tornou mais pesado do que poderia imaginar ou agüentar, pobre do jovem que imaginou não ter conseqüências quando a conseqüência é a própria vida.
Morrendo varias vezes no mesmo dia, renascendo varias vezes ao piscar os olhos, a esperança no bater de assas de uma borboleta, simples e puro, mas delicadamente perigoso, a ponto de se questionar, se realmente vale a pena.
Mas algo sempre bate a minha porta, de forma insistente, bate como se fosse a primeira vez, mas com a sutileza de quem bate uma ultima chance, esperando entrar, para algo velho sair, sem mais, apenas a luz e a escuridão que rotineiramente insistem em ditar o ritmo de algo que consideramos normal ou esta em algum plano celestial.
Lentamente o veneno dos muitos olhares faz seu efeito, lentamente confunde a mente, semeia pequenas duvidas que aos poucos se tornam grandes devoradores de confiança. Deixando o que consideramos seguro, estremecidos pelo calor de palavras já cansadas de serem repetidas, apenas mostrando uma enorme lacuna, um vazio, que transborda de insensatez um pobre coração.
Não existe mundo além daquilo que posso tocar, não existe sentimento além daquilo que posso sentir, não existe ar além do que posso respirar e não existe fé que não possa ser estremecida pela fraqueza de um único momento, de um único toque. O mundo cabe dentro de um eu perigosamente avassalador, silenciosamente conquistador, embora só, pelas próprias escolhas.
È algo incompreensível, um mistério aonde o talvez e o porque sempre se faz presente, a duvida faz parte de algo banal, e as certezas não existem, tal ponto pode ser o inicial ou pode ser considerado o final, apenas depende da forma com a qual é vista ou sentida.

Pablo Danielli

Why did you love? Por qual motivo você ama?


Why did you love?

What makes us different feel in the midst of millions of people, millions of faces around the world and experienced many stories in many different ways. For what reason we should feel special, to feel valued, loved, important for who knoweth us?
What drives our actions, gestures, attitudes, day to day, we are so different from each other, or just looking and not see that it does not make us more than mere spectators of life. For what reason seek to preserve, care for and love who consider special attachments and we respect that, there seems at first sight a very complex question to answer, but if we put in concrete reasons, we find that life around us is full questions and not always get answers.
So for what reason you love, reasons to love each other and against the unknown are so indifferent, those people are not worthy of our respect and love? We are more cruel than we can imagine and we have more compassion hidden in our bodies than we suppose, it varies according to the time we met and the life we ​​live.
Maybe if humans share the love you have inside of you, for the people, need not be much, just a thousandth part would be good, since a lot would change, it would be an amazing transformation and unprecedented for humanity, but then comes to question, for what reason do you love? We love to feel important to someone else, to receive the same love in return, or because the booklet tells us to love our neighbor without question, the reason why or circumstance, and if love comes from cradle why not divide it with the world. But love for what reason, is not the main reason things are right or wrong, which can be crucial because it is not love our neighbor just as we love because we are all a little narcissistic, we have within us a ego that sometimes does not let us see what there is out of this shell, which is sometimes thick and hurts others and sometimes delicate and is not useful for anything.
What is certain is that with or without cause must grant the best of us always, show that we are more human beings rather than cold and calculating, not to seek reasons to love, but to seek reasons to stop loving, it will be as perfect beings that somo to the extent necessary to judge whether we need this or that, we are human, fragile and short life considered, then we must seek leave positive memories and gestures of kindness, as is the memories we carry and is what gets us to the logical and others the love we share.

Pablo Danielli


Por qual motivo você ama?

O que nos faz sentir diferentes em meio a milhões de pessoas, milhões de rostos espalhados pelo mundo e muitas histórias vividas das mais diversas formas. Por qual motivo devemos nos sentir especial, sentir valorizado, amado, importante para quem nos conhece?
O que move nossos atos, gestos, atitudes do dia a dia, somos tão diferentes assim um dos outros, ou apenas parecidos e não vemos que isto não faz de nós mais que meros espectadores da vida. Por qual motivo procuramos preservar, cuidar e amar quem consideremos especial, que temos apegos e que respeitamos, não parece à primeira vista uma questão muito complexa de se responder, mas se formos por em razões concretas, veremos que a vida que nos cerca é cheia de perguntas e nem sempre obtemos respostas.
Então por qual motivo você ama, por qual motivo amamos uns ao outros e diante do desconhecido somos tão indiferentes, aquelas pessoas também não são dignas de nosso respeito e amor?  Somos mais cruéis do que podemos imaginar e temos mais compaixão escondida em nossos corpos do que podemos supor, tudo é variável de acordo com o momento que nos encontramos e a vida que vivemos.
Talvez se o ser humano compartilhar o amor que tem dentro de si, para as pessoas, não precisaria ser muito, apenas uma milésima parte estaria bom, já mudaria muita coisa, seria uma transformação incrível e sem precedentes para a humanidade, mas então vem à questão, por qual motivo você ama?  Amamos para nos sentir importantes para outra pessoa, para recebermos o mesmo amor em troca, ou porque manda a cartilha que devemos amar ao próximo sem questionar, o motivo, o porque ou circunstância, e se o amor vem de berço porque não dividi-lo com o mundo. Mas por qual motivo amar, não é o motivo principal de as coisas estarem certas ou erradas, o que pode ser crucial é porque não amamos o próximo da mesma forma que nos amamos, pois todos somos, um pouco narcisistas, temos dentro de nós um ego que por vezes não nos deixa ver o que existe por fora desta casca, que por vezes é grossa e fere ao próximo e por vezes é delicada e não nos serve para nada.
O certo é que com ou sem motivo devemos conceder o melhor de nós sempre, mostrar que somos mais humanos ao invés de seres frios e calculistas, não procurar motivos para amar, sim procurar motivos para se deixar amar, pois será que somo seres tão perfeitos, a ponto de julgar necessário se precisamos disto ou daquilo, somos humanos, frágeis e com uma vida considerada curta, então devemos procurar deixar lembranças positivas e gestos de bondade, já que lembranças é o que levamos e é o que fica de nós para as outras pessoas e lógico o amor que compartilhamos.

Pablo Danielli

The false moral, A falsa moral


The false moral

The human nature is to seek always what is most advantageous, whether at school, work or in many other situations. Its value your custom and devalue others, benefit is generally enforced the law, the person stronger, more determined or considered more beautiful.
We could talk for example about the carnival, where the opportunity to parade their naked bodies, often with micro fabric or just a painting deemed "art" leaves many men and women with sexual desire and that appeal to the surface. Past this moment of euphoria, drunkenness and debauchery, follow with their empty lives, but woe to him be disrespectful or be daring, even if some memory of carnival, the depravity that happened at the carnival, some would say is in mortal flesh, after false moral and bye.
And so goes humanity, so your days go, taking advantage of situations, rows, change, bills, endless opportunities to do wrong and then talk to the four corners: No! Look it can not, not right, putting down the carpet of their mistakes before others and impose an image incorruptible and celibacy, but we live in the country of corruption, the country where everything is allowed, then, just hours after denying.
Examples and more examples of the lack of character of men, political advantage, religious criticism, not because people just show their real nature, show that not resist the temptation of the flesh and eyes, some would say wrong, there has your fund others actually say.
But come on, who does not know a friend or neighbor who boasts of a situation, to be smarter, and more than that actually is just another in a crowd of so many mascaras blank if the grass is always greener, What of their morality, what happens between four walls, four walls is in the eyes see what you think necessary, the mouth speaks that which is correct for the time and ears pay the price of such blunder of the day the day.
While always beautiful today, our nights so romantic, that keep our longings and certainties, we can not deny that we live in a time where doubts everything and not sure of anything, our small battles are fought in our imagination and our victims are friends or strangers, as the back of a face, a mask, there is always much more than a story.

Pablo Danielli


A falsa moral

O ser humano tem por natureza buscar sempre o que lhe é mais vantajoso, seja na escola, trabalho ou em outras tantas situações. Tem por costume valorizar o seu e desvalorizar os outros, vantagem é geralmente a lei imposta, da pessoa mais forte, mais determinada ou considerada mais bonita.
Poderíamos por exemplo falar sobre o carnaval, aonde a oportunidade de desfilar seus corpos nus, muitas vezes com micro tecido ou apenas uma pintura considerada “arte”, deixa muitos homens e mulheres com desejo sexual e esse apelo à flor da pele.  Passado tal momento de euforia, bebedeira e depravação, seguem com suas vidas vazias, mas ai daquele que lhe faltar com respeito ou ser ousado, mesmo que seja alguma lembrança de carnaval, a depravação que aconteceu no carnaval, fica no carnal diriam alguns mortais, depois falsa moral e tchau.
E assim caminha a humanidade, assim seus dias passam, tirando proveito de situações, filas, troco, contas, oportunidades sem fim de fazer o errado e depois falar aos quatro cantos: Não! Olha isso não pode, não é certo, colocando para de baixo do tapete os seus erros e impor perante os outros uma imagem incorruptível e celibato, mas vivemos no país da corrupção, no país onde tudo é permitido, depois, hora depois basta negar.
Exemplos e mais exemplos da falta de caráter dos homens, vantagem politica, religiosa, critica, porque não, as pessoas simplesmente mostram sua real natureza, mostram que não resistem à tentação da carne e dos olhos, errado diriam alguns, tem lá seu fundo de verdade diriam outros.
Mas convenhamos, quem não conhece um amigo ou vizinho que se vangloria de alguma situação, de ser mais esperto, superior e que na verdade não passa de mais um na multidão de tantas mascaras em branco, se a grama do vizinho é sempre mais verde, o que dizer da sua moral, o que acontece entre quatro paredes, fica em quatro paredes, os olhos veem aquilo que se acha necessário, a boca fala o que se acha correto para o momento e os ouvidos pagam o preço de tanta asneira do dia a dia.
Embora sempre belo nossos dias, nossas noites tão românticas, que guardam nossos anseios e certezas, não podemos negar que vivemos em um tempo onde se duvida de tudo e não se tem a certeza de nada, nossas pequenas batalhas são travadas no nosso imaginário e nossas vitimas são amigos ou desconhecidos, pois a trás de um rosto, uma mascara, sempre há bem mais que uma história.

Pablo Danielli

The price of vanity, O preço da vaidade



The price of vanity


When the body perishes, the vagaries of life, dies a little of our sanity. Not by coincidence custamos us to give ourselves to the sins of the flesh, because we know that once tasted this delicious evil, our bodies can ask for more, then it would be too late to recover the purity by which our souls are made.

You are everywhere, in a look, in the words of a malicious good day, or just on a fixed imagination of greed, the beautiful girl who goes by without you noticing. It may be difficult to realize, but admit being very easy to surrender, is not pure demagoguery to say that we were made for sin, but it is foolish to say that we can resist all temptations that are put on our tables.

A man loves a woman, until then everything normal, flowers, poetry and caresses on a daily, all right, all legal, if not for the carnal desire, the desire to control and seduction, doing unimaginable things to her with whom this hand, as one who takes the petals of a flower one by one, without her beauty left over to watch, without assessing what remains, then leaves for new conquests.

So has the early game of life, of feeling the game, the game and the game of betrayals excuses evil spoken of, in this way we swallow anything to keep something or someone beside us, our pride that can dominate us, very likely that the fear determine our next steps, if we pay close attention, you will notice that often leave to pursue happiness in other ports, by settling for something safe in our eyes, our minds say though that you can have more happiness.

So the question arises clear and direct in our heads, what price vanity? The pride of life, of what people will think about us, thus dictating our rhythm, keeping everyone up to fight for what you really want. This concern in thier own image, fear of facing our own image scratched in a giant mirror, where everyone is looking for his faults. We were really small before our despair, we show ourselves that stuff we are made, and most times we cried, the very lack of attitude.

We will be negligible as well? Or just be content to coexist? The truth is that most of the time we are wrong, and not accepting this grotesque mistake, in which we let go, let go with him a precious part of our lives, in which possibly find our joy. Therefore it is necessary to be modest, swallow your pride and try to do right and right most of the time is what you want, not what others want.

Pablo Danielli

O preço da vaidade


Quando o corpo perece, aos caprichos da vida, morre um pouco de nossa sensatez. Não por mera coincidência nos custamos a nos entregar aos pecados da carne, pois sabemos que uma vez provado deste delicioso mal, os nossos corpos podem pedir mais, então seria tarde de mais para recuperar a pureza pela qual nossas almas são feitas.
Está em todos os lugares, em um olhar, no dizer malicioso de um bom dia, ou apenas em uma imaginação fixa de cobiça, pela linda menina que passa sem lhe perceber. Difícil talvez seja perceber, mas convenhamos ser muito fácil de se entregar, não é pura demagogia dizer que fomos feitos para o pecado, mas é tolice dizer que podemos resistir a todas as tentações que são postas em nossas mesas.
Um homem ama uma mulher, até então tudo normal, flores, poesias e carinhos no dia a dia, tudo certo, tudo legal, se não fosse o desejo carnal, o desejo de controle e sedução, de fazer coisas inimagináveis com quem esta ao seu lado, como quem tira as pétalas de uma flor uma a uma, sem lhe sobrar beleza para observar, sem restar o que apreciar, então parte para novas conquistas.
Assim tem inicio o jogo da vida, o jogo de sentimentos, o jogo das traições e o jogo das desculpas mal ditas, nessa forma que engolimos qualquer coisa para manter algo ou alguém ao nosso lado, possível que nosso orgulho nos domine, muito provável que o medo determine nossos próximos passos, se formos prestar bastante atenção, será possível observar que deixaremos muitas vezes de buscar a felicidade em outros portos, por se contentar com algo seguro aos nossos olhos, embora nossas mentes digam que se pode ter mais felicidade.
Então surge uma pergunta clara e direta em nossa cabeça, qual o preço da vaidade? A vaidade da vida, do que as pessoas vão pensar sobre nós, ditando assim nosso ritimo, impedindo cada pessoa de lutar pelo que se realmente quer. Esta preocupação em relação á própria imagem, o medo de enfrentar nossa própria imagem arranhada, em um gigante espelho, aonde todos procuram seus defeitos. Ficamos realmente pequenos diante do nosso desespero, mostramos a nós mesmos de que material somos feitos, e na maioria das vezes choramos, pela própria falta de atitude.
Somos será tão ínfimos assim? Ou apenas se contentamos em coexistir? O certo é que na maioria das vezes estamos errados, e não aceitando este erro grotesco, no qual abrimos mão, deixamos partir com ele uma parte preciosa de nossas vidas, na qual possivelmente se encontre a nossa alegria. Para tanto é necessário ser modesto, engolir o orgulho e procurar fazer o certo e o certo na maioria das vezes é o que se quer, não o que os outros querem.

Pablo Danielli

quarta-feira, 20 de fevereiro de 2013

Peça de teatro e pagina no face

Vida


Onde está o progresso
Quando se precisam destruir sonhos,
Para construir muros.

Onde está a bondade
Quando olhar para lado,
É melhor que ajudar.

Onde esta o sorriso
Quando o que te dão,
É motivo para chorar.

Tantos passos em vão
Tantos planos destruídos pelo suor,
Tanta pressa, tanta hora marcada!

Para no fim
Não se levar nada,
Não se orgulhar de nada.

Ser apenas mais uma lembrança
De uma vida que se viveu
Da forma errada.

Pablo Danielli

terça-feira, 19 de fevereiro de 2013

Contradança, Quadrille

Quadrille


It's easy to get lost in the rhythm of it, your eyes go from side to side looking for let me awkwardly as I am that good gentleman, well why not reciprocate and slightly disguise the smile, maybe she realize and reciprocate, but that my idea, thinking she with all her glamor and beauty to realize the intention of only a smile, if so many are receiving it.
Gradually get lightweight, comfortable in the salon, I lack the courage to speak only of my intentions, maybe something serious or just a quadrille if you want, no it should not be those who want to be a man for only one night, but On the other hand, thinking it would be better to marry her tiresome, as with so many suitors should be spoiled.
But what am I saying, of course you surely already has a boyfriend, as I did not think of it before, or even married, it will be, but I see no ring on your fingers and just arrived with her friends, can only be single, perhaps only is waiting for me, because I think that crazy about it, she just ran his eyes across the room does not even have noticed.
Look for a look at the other side and talk to your friends, will be talking about me, perhaps noticing my hair, my god is he neat? Poor me and now what do I do, go to the bathroom to see how it is, but if I go back and have gone, or even one of these profiteers is talk to her, be my end and I have lost her forever.
Time passed and even saw it's almost midnight, how much longer will it be, maybe if I offer her a ride, yes, that even then there could talk about what I feel, but that nonsense from my head nor at least I know of course that would not accept, what would you tell her? Hi very pleased, my name is Adurbal accepts a ride, for sure it would not work, I think I'll have a drink, so maybe I take heart and talk to her, but then she'll realize'll stick with beer taste in the mouth, if I kiss her she will notice and will be my end, a tragedy, not to mention the headlines would be really funny the next day.
My heart will seem to jump at the mouth, my legs tremble, because it brings it all on me, do not understand, someone is going to talk to her, my god is a man, what will they talk, will be the end of my hopes, hugged her, she is calling for a quadrille, now, is it really the end, I knew she likes older men, this alias, seems to have almost three times her age, how can I compete with him, my god is leaving Lane embraced it, I go there, I declare myself and see what happens, but that idea never accept it without mentioning the shame she would, she is leaving the prom with him, even my end is, what will I do I can only suffer from love, not go after her, I'll talk to her friends.
I'll talk with Margaret, I explained the whole situation so she laughed, I thought, now I know my end will be really funny in the city, so she told me that she had found me cute, and I was hoping it was talking to her, my god, lost by the lack of attitude never forgive you for this, it was then that Margaret gave me hope, that man is her father, who was then my face got a huge smile, even thought there is hope in the next ball take courage and oh yes I invite you to dance.

Pablo Danielli

Contradança


È fácil se perder no ritmo dela, seus olhos vão de um lado ao outro procurando deixar-me sem jeito, eu como bom cavalheiro que sou, ora porque não, retribuo e levemente disfarço o sorriso, quem sabe, ela perceba e retribua, mas que idéia a minha, pensar que ela com todo seu glamour e beleza possa perceber a intenção de apenas um sorriso, se tantos são os que ela recebe.
Aos poucos fico leve, à vontade no salão, falta-me apenas coragem para falar de minhas intenções, quem sabe algo sério ou apenas uma contradança se quiser, não ela não deve ser destas que queira ser de um homem somente por uma noite, mas por outro lado, pensando melhor casar com ela seria cansativo, pois com tantos pretendentes deve ser mimada.
Mas que estou dizendo, claro que com toda certeza já tem namorado, como não pensei nisso antes, ou até mesmo casada, será mesmo, mas não vejo anel em seus dedos e chegou apenas com as amigas, só pode ser solteira, quem sabe apenas esteja esperando por mim, que loucura porque penso nisso, ela apenas percorreu seus olhos pelo salão nem ao menos deve ter notado.
Olha para um lado olha para o outro e conversa com suas amigas, será que fala sobre mim, talvez esteja reparando em meu cabelo, meu deus será que está arrumado? Pobre de mim e agora, o que faço eu, vou ao banheiro ver como está, mas se eu voltar e tiver ido embora, ou até mesmo um desses aproveitadores for falar com ela, será meu fim e terei perdido para sempre ela.
O tempo passou e nem vi já é quase meia-noite, quanto tempo mais será que vai ficar, talvez se eu oferecer carona a ela, sim, isso mesmo ai então poderia falar sobre o que sinto, mas que bobagem de minha cabeça, nem ao menos me conhece é claro que não aceitaria, o que diria a ela? Oi muito prazer, meu nome é Adurbal aceita uma carona, com certeza não daria certo, acho que vou tomar uma bebida, quem sabe assim eu crie coragem e fale com ela, mas ai ela vai perceber vou ficar com gosto de cerveja na boca, se eu beijá-la ela ira notar e será meu fim, uma tragédia, sem falar nas manchetes, seria realmente a piada no dia seguinte.
Meu coração parece que vai saltar pela boca, minhas pernas tremem, porque ela provoca isso tudo em mim, não entendo, alguém está indo falar com ela, meu deus é uma homem, o que será que conversam, será o fim de minhas esperanças, abraçou ela, está convidando ela para uma contradança, agora sim, será mesmo o fim, eu sabia ela gosta de homens mais velhos, este alias, parece ter quase o triplo de sua idade, como vou competir com ele, meu deus está saindo da pista abraçada nele, vou até lá, me declaro e vejo o que acontece, mas que idéia nunca ela aceitaria sem falar na vergonha que ela passaria, ela está saindo da baile com ele, é mesmo meu fim, o que vou fazer só me resta sofrer de amor, não, vou atrás dela, vou falar com as amigas dela.
Falarei com Margarete, lhe expliquei toda a situação então ela riu, pensei eu, eu sabia meu fim agora serei realmente piada na cidade, então ela me falou que ela tinha me achado bonitinho, e estava esperando que fosse falar com ela, meu deus, a perdi por falta de atitude nunca perdoarei por isso, foi então que Margarete me deu esperanças, aquele homem é o pai dela, foi então que meu rosto ficou com um sorriso enorme, ainda há esperança pensei, no próximo baile tomo coragem e ai sim lhe convido para dançar.
Pablo Danielli

Magia, Magic

magic


All eyes are turned upwards,
Almost not see, that delicate line
And in it, the beautiful acrobat seems to float, fly, hover in midair.


Hearts in the hands,
Thoughts, will it succeed or not?
With its beautiful white linen, silver umbrella,
Looks frightened,
Will he fall?


It's like someone who does not fear death,
And live in the moment lucky
Does she know,
What is your great love to see him?


Just waiting to be able to see him,
And with flowers you receive,
Does it get balancing anger is passion?


It will not make her heart, Ring, line and song,
As a beautiful artist, living a passion
Can she, hovering in the air, without seeing you,
Balancing another heart?

Pablo Danielli


Magia

Todos os olhos estão voltados para cima,
Quase não enxergam, aquela delicada linha,
E nela, a linda equilibrista parece flutuar, voar, pairar no ar.

Corações nas mãos,
Pensamentos, será que irá conseguir ou não?
Com sua linda roupa branca, guarda-chuva prateado,
Olhares assustados,
Será que irá cair?

É como quem não teme a morte,
E vive o momento na sorte,
Será que ela sabe,
Que seu grande amor está a lhe ver?

Somente esperando, para poder lhe ver,
E com flores te receber,
Será que ela ira conseguir equilibrar está paixão?

Não fará ela do coração, Picadeiro, linha e canção,
Como uma linda artista, vivendo uma paixão,
Conseguirá ela, pairar no ar, sem te ver,
Equilibrando mais um coração?
Pablo Danielli

Quando as Estrelas Encontram o Céu, When the stars meet the sky

When the stars meet the sky
It is majestic and the sublime moment of goodbye and hope
It is natural as small flames
That illuminates the hearts of lovers.

Who write nonsense and small vows of eternal love
Eternal as brightly in the void of the universe,
Looking for your fitting, almost perfect in the eyes of the dreamer.

Hoping fervently chest open and a new love
The light of heaven, today fascinates and illuminates not only the gallant,
But also, that tree
Drought and old that so many fruit sprouted.

Giving finally, to ensure life in all its splendor,
That's life on the line, no longer flower
To be a heaven of love.

Pablo Danielli

Quando as estrelas encontram o céu
É o sublime e majestoso momento do adeus e da esperança,
É natural como pequenas chamas
Que ilumina o coração dos apaixonados.

Que escrevem bobagens e pequenas juras de amor eternos
Eterno como seu brilho no vazio do universo,
Procurando seu encaixe, quase que perfeito no olhar do sonhador.

Esperando de peito aberto e com fervor um novo amor
A luz deste céu, hoje ilumina e fascina não somente o galanteador,
Mas também, aquela árvore
Seca e velha que tantos frutos brotou.

Dando por fim, a velar a vida no seu esplendor,
Que na linha da vida, deixa de ser flor,
Para ser mais um céu de amor.

Pablo Danielli

segunda-feira, 18 de fevereiro de 2013

Sem hora



Novas letras, novos dias,

Na sombra de novos amores,

Velhas alegrias!




Na ponta de lápis gasto

Ideias novas

Sem fronteira, sem hora,

Sim senhora!

Pra começar e acabar.




Sentimentos

Que passam o verão

Furam o inverno,

Despertam no outono.




Preto e branco

Luz do dia colorindo,

O que nunca foi visto

Lido ou sentido.




Sentimentos tortos

Caminhos cruzados, bocas desejadas,

Da meia noite ao meio dia, resto do dia,

Os ponteiros insistem

Gritam e falam,

Sinta a vida!




Pablo Danielli



O pouco que se tem, What little has





What little has


I give you life
Likewise, I give death
I grant you the gift of choice
Often I allow Rs.
I allow smiled, as that will suffer.
Nothing more just and honorable to learn to lose,
So learn to live with what little they have.

Pablo Danielli

O pouco que se tem



Te dou a vida

Da mesma forma que lhe dou a morte,

Concedo-lhe o dom da escolha,

Permito que erres muitas vezes.

Permito que sorria, da mesma forma que irá sofrer.

Nada mais justo e honroso que aprender a perder,

E assim saber viver com o pouco que se tem.


Pablo Danielli

No meio da noite, In the middle of the night



In the middle of the night


And in the middle of the night she came,
Full lush, stealing the brightness of the moon,
In full beauty, my attention was all his.
There is no way to describe this feeling,
It is much more than a simple accident,
Is the touch, the smell is the kiss is,
It is very intense and desire.
And in its glow, she hallucinated,
In her steps she showed
Just how sexy she was,
And how much I coveted.
Hostage to her silence,
That told me tonight
It was all for me,
And if I really wanted
This desire would be sated,
In a night of endless love.


Pablo Danielli


No meio da noite



E no meio da noite ela surgiu,

Plena exuberante, roubando o brilho da lua,

Em beleza plena, minha atenção era toda sua.

Não há como descrever tal sensação,

É muito mais que um simples querer,

É o toque, é o cheiro é o beijo,

É muito e intenso desejo.

E em seu brilho, ela me alucinava,

Em seus passos ela mostrava

O quão sensual ela estava,

E o quanto eu a cobiçava.

Refém de seu silêncio,

Que me dizia que essa noite

Era toda para mim,

E que se eu realmente quisesse

Este desejo seria saciado,

Em uma noite de amor sem fim.


Pablo Danielli

sábado, 16 de fevereiro de 2013

Vidas Cruzadas, crossed lives

crossed lives


When you look in the mirror and not recognize myself anymore,
Time went by too fast, and we feel the weight of the feathers in our lives,
Our calloused feet, by walking aimlessly, shows us the way to the end.


Our needs, spoke louder than our love,
And we drowned our pride,
Have not we read our books together
And if you want, we heard our song playing.


We left by choking badly told stories,
And forget about our own past.
The curves of your naked body, are no longer present in my hands,
And the absence of your kiss no more hurts my soul.


The emptiness of our home, complete emptiness of our souls,
And as strange, we crossed the path of a park,
Just say, good morning, how's life.

Pablo Danielli


Vidas cruzadas



Ao te olhar no espelho, não me reconheço mais,

O tempo passou rápido de mais, e nós sentimos o peso das plumas em nossas vidas,

Nossos pés calejados, pelo andar sem rumo, nos mostra o caminho do fim.



Nossas necessidades, falaram mais alto que nosso amor,

E nosso orgulho nos afogou,

Já não lemos nossos livros juntos,

E se quer, ouvimos tocar nossa canção.



Nos deixamos sufocar por histórias mal contadas,

E esquecemos do nosso próprio passado.

As curvas de teu corpo nu, já não estão presentes em minhas mãos,

E a ausência de teu beijo, não machuca mais minha alma.



O vazio de nossa casa, completa o vazio de nossas almas,

E assim como estranhos, nos cruzamos no caminho de um parque,

Apenas dizemos, bom dia, como vai a vida.




Pablo Danielli

O velho e o Garoto, The old man and the boy

The old man and the boy


Once seated, a lake, a boy trying to write a romantic letter to his beloved, he thought it should be easy because it's just post some nice words and phrases of impact, that everything would come out so that the words would flow course of his mouth, but if that does not happen enough to make some copies of books and everything would be resolved, though he thought the boy well knew what he was writing was not his and neither would your feeling.
But by looking around, he saw that there was an old lake that looks very serene, an elder so to speak, the boy realized that the old man looked at the lake, leaves and scribbled something on a paper he was carrying, the way we did and naturalness with which he made his attention to the boy, for how can he (the old) look for anything and write without stopping, on pieces of paper that came to him in moments you miss your fault imagination.
The boy began to think to himself, until at times thinking there was something wrong with him, for writing a letter could not be that hard, since all they do, why he just would not do it too?
The afternoon went along with the patience of the boy, who despaired with your own mind and your heart, as if nothing could make them good, why should point in living? At dusk, a beautiful sunset stretched across the lake, reflecting the splendor of all that lovely afternoon with a gentle breeze knocked some leaves yellow and brown of his other trees, on a perfect autumn afternoon, along with the leaves fall to the ground also all hope was that the boy then looked back and saw the old man a smile that really had not seen in a person's face, a smile that was pure and simple contrast with his white hair and beard, made snow.
Seeing such a thing, the young man stood up and walked round the lake toward the old, in rhythmic steps, without haste, wondering what you would say and would like to explain what happened to him as he approached the old the boy sitting next to a vast lawn that surrounds the lake, in a gesture of humility gives the hand telling you good afternoon.
Silence hung in the air, the old man had replied compliance, then the boy began to think of what to say, because he had become in an embarrassing situation, gathering his papers and your pencil, the boy begins to rise out of Suddenly no more than suddenly in an unexpected moment hears a friendly afternoon of good old.
The boy to sit back down, opening a smile that was not much, and the old man with all his wisdom and mastery that only time can give you, asks the boy who tormented him much, since he had perceived disbelief and fear in their words .
With the purity of a child the boy tells him what happened, and asks the old advice, because perhaps realized that his vast experience, would ease in making the words flow, looking a little wisdom to be able to write beautiful things for your loved one , the old man stood up and asked the boy to walk with him, the paths that were made along the lake.
Hoarsely punished by time, the old man begins to tell you about the life of everything that follows their fears and virtues, all listening intently looking young annotate every word the old man tells him, to be able to use everything in their texts, but old to realize this, asks the boy drop your pencil and paper and asks you a question to which there should be an immediate response, the old asks what the boy saw what he saw on this journey, what he learned from everything that happened there.
The boy replied that he had paid attention to every word and watched all the old was not to lose any detail, then the old man looked at the boy and said he was not prepared to hear his words, it was takes much more than simply pay attention to his words, it was necessary to understand them.
Not understanding what he wanted to say, the boy asked the old man to help to understand and understand the world the way he saw and not what's thought to be, then the old man told him that it was late and asked the boy to come back the next day, then that would explain what he wanted to know.
Arriving near the same hour the previous day, the boy goes to the lake, the afternoon was cold prevented anything more to meet the old man, who was sitting in the same place and scribbling a few lines on a small piece of paper, when approaching the old man asked the boy to sit down, and asked him the same question again, to see that the boy had not found the old response begins to explain, why the question and what it has to do with his life.
The old man explained that when invited to walk was not paying attention to the people, but in birds, trees, animals that were there, in the air, the sun and sky, interrupting the boy asked him why that old and you spoke, people are just figures that make up a medium are small pieces of a big puzzle and to understand that the boy would have to pay attention to detail that life provides, wonder why things are that way and not another, wondering why life offers us and the power to come and go, feeling, speaking and listening, that when he was called to go to feel the fresh air, take a deep breath and feel the sweet taste of life was to realize that life is made of small moments that together make up worth a whole life, he was to realize that life is not made up only of joy but also of sorrow, nothing is lost, everything is a learning constant and that people who cross our lives are special, the way they are and not for who they are.
He also explained that one can never put aside that moment, give a hug, a kiss like that or have admiration that often we sin not to give value to things simple, because only them that is true happiness, we stopped doing what we think because you think others will find this or that and in fact all have weaknesses.
The old man told him that to understand these words, then the kid would know the true meaning of life and the words would come out naturally from his head, which then would have wisdom enough to write about life and about love, that no matter what write if not of heart is nothing, spoke to cherish and enjoy your life, because the fact of having it already is a gift.
The boy was surprised with these words, was speechless for a moment and his eyes filled with water said that all that was beautiful and had never thought whether past like that in your mind, thanked the old man and said that such words could already write your letter with feeling pure and true, said he understood the meaning of his words.
He said he would take the life, live, however, with responsibility without losing the purity and asked what his name was, the old, the old man there, with all his wisdom, he simply said: I am the air, the earth, the birds , life, death, I kid, I'm just an old man.

Pablo Danielli

O velho e o garoto



Certa vez, sentado, a beira de um lago, um garoto tentava escrever uma carta romântica para sua amada, pensava ele que devia ser fácil, pois é só postar algumas palavras bonitas e frases de impacto, que tudo sairia de modo que as palavras fluiriam naturalmente de sua boca, mas se caso isso não acontecer bastava fazer algumas cópias de livros e tudo estaria resolvido, embora pensasse assim o garoto sabia que o que ele estaria escrevendo não seria dele e nem sairia do seu sentimento.

Mas ao observar ao seu redor, viu que naquele lago havia um velho com aparência muito serena, um ancião por assim dizer, o garoto percebera que o velho olhava para o lago, para as folhas e rabiscava algo em um papel que trazia consigo, o modo com que fazia e a naturalidade com que fazia lhe chamaram a atenção do garoto, pois como pode ele (o velho) olhar para qualquer coisa e escrever sem parar, em pedaços de papel que em momentos lhe chegavam a faltar-lhe por culpa de sua imaginação.

O garoto começou a pensar consigo mesmo, até em alguns momentos achando haver algo errado com ele, pois escrever uma carta não poderia ser tão difícil assim, já que todos o fazem, por que ele, justo ele não faria também?

A tarde passava junto com a paciência do garoto, que se desesperava com sua própria mente e seu coração, pois se nada conseguia tirar de bom deles, por que haveria sentido em viver? Ao entardecer, um lindo por do sol se estendia pelo lago, refletindo todo esplendor da linda tarde que com uma suave brisa derrubava algumas folhas amarelas e outras marrons de suas arvores, em uma perfeita tarde de outono, junto com as folhas caia também por terra toda a esperança que havia no garoto, então olhou novamente para o velho e viu um sorriso que a muito não via no rosto de uma pessoa, um sorriso simples e puro que fazia contraste com sua barba e cabelos brancos, feito neve.

Ao ver tal coisa, o jovem levantou-se e caminhou contornando o lago em direção ao velho, em passos ritmados, sem pressa, pensando no que iria dizer-lhe e como faria para explicar o que acontecia com ele, ao se aproximar do velho, o garoto senta ao seu lado num vasto gramado que cerca o lago, em num gesto de humildade lhe dá a mão lhe falando boa tarde.

O silêncio pairava no ar, o velho não lhe respondera o cumprimento, então o garoto começou a pensar no que dizer, pois havia se tornado em uma situação embaraçosa, juntando seus papeis e seu lápis, o garoto começa a se levantar para sair, de repente não mais que de repente em um momento inesperado ouve um amistoso boa tarde do velho.

O garoto volta a sentar, abrindo um sorriso que a muito não fazia, e o velho com toda a sua sabedoria e maestria que só o tempo pode lhe dar, pergunta ao garoto que tanto lhe atormentava, já que havia percebido descrença e temor em suas palavras.

Com a pureza de uma criança o garoto lhe fala o que aconteceu, e pede conselhos ao velho, pois percebera que talvez por sua vasta experiência, teria facilidade em fazer fluir as palavras, procurando um pouco de sabedoria para poder escrever coisas bonitas para sua amada, o velho levantou-se e convidou o garoto para caminhar com ele, os caminhos que se faziam ao longo do lago.

Com uma voz rouca castigada pelo tempo, o velho começa a lhe falar da vida de tudo que a segue seus temores e virtudes, ouvindo atentamente tudo o jovem procura anotar cada palavra que o velho lhe fala, para poder usar tudo em seus textos, mas o velho ao perceber isso, pede ao garoto que largue seu lápis e papel e lhe faz uma pergunta com a qual deveria haver resposta imediata, o velho lhe pergunta o que o garoto percebeu, o que ele notou nessa caminhada, o que ele aprendeu com tudo o que se passou ali.

O garoto respondeu-lhe que havia prestado atenção em cada palavra dita e que observou tudo que o velho fazia para não perder nenhum detalhe, o velho olhou então para o garoto e falou que ele ainda não estava preparado para ouvir suas palavras, que se fazia necessário muito mais que simplesmente prestar atenção em suas palavras, era necessário compreende-las.

Não entendendo o que ele quis lhe dizer, o garoto pediu ajuda para o velho para poder compreender e entender o mundo da forma que ele via e não da qual pensava ser, o velho então lhe falou que era tarde e pediu ao garoto que voltasse no dia seguinte, que então lhe explicaria o que ele queria saber.

Chegando perto da mesma hora do dia anterior, o garoto vai para o lago, a tarde era fria mais nada impediu de ir ao encontro do velho, que estava no mesmo lugar sentado e rabiscando alguns versos em um pequeno pedaço de papel, ao se aproximar o velho pediu a garoto que sentasse, e lhe fez a mesma pergunta novamente, ao ver que o garoto não havia encontrado resposta o velho começa a lhe explicar, o porquê da pergunta e o que ela tem haver com a sua vida.

O velho lhe explicou que quando o convidou para caminhar não foi para prestar atenção nas pessoas, mas sim nos pássaros, arvores, animais que ali estavam, no ar, no sol e no céu, o garoto interrompendo lhe perguntou o porque disso e o velho lhe falou, que as pessoas são apenas figuras que compõem um meio, são pequenas peças de um grande quebra-cabeça e que para compreender isso o garoto teria que prestar a atenção nos detalhes que a vida oferece, se perguntar o porque das coisas serem daquele jeito e não de outro, se perguntar por que a vida nos oferece o poder e ir e vir, sentir, falar e ouvir, que quando ele o chamou pra caminhar era para sentir o ar puro, respirar fundo e sentir o doce sabor da vida, era para perceber que a vida é feita de pequenos momentos, que juntos se fazem valer por uma vida intera, era pra ele perceber que a vida não é feita só de alegria, mas de tristeza também, que nada se perde, tudo é um aprendizado constante e que as pessoas que cruzam nossas vidas são especiais, da forma que são e não por serem quem são.

Também explicou que nunca se pode deixar de lado aquele momento, de dar um abraço, um beijo em que se gosta ou se tem admiração, que muitas vezes pecamos por não dar valor às coisas simples, pois só nelas que se encontra a verdadeira felicidade, que deixamos de fazer o que pensamos por achar que os outros vão achar isso ou aquilo e na verdade todos têm fraquezas.

O velho lhe falou que ao entender essas palavras, o garoto saberia então o verdadeiro significado da vida e que as palavras sairiam naturalmente de sua cabeça, que então teria sabedoria o suficiente para escrever sobre a vida e sobre o amor, que não importa o que escrevam se não for de coração de nada vale, falou pra valorizar e aproveitar a sua vida, pois o fato de tê-la já é uma dádiva.

O garoto ficou surpreso com tais palavras, ficou mudo por alguns instantes e com os olhos cheios de água falou que aquilo tudo era lindo e que nunca havia passado se quer pensamento parecido com aquilo na sua mente, agradeceu o velho por tais palavras e falou que já poderia escrever a sua carta com sentimento puro e verdadeiro, disse que entendeu o significado de suas palavras.

Falou que aproveitaria a vida, viveria, porém, com responsabilidade sem perder a pureza, e pediu qual era seu nome, o velho, há o velho, com toda sua sabedoria, simplesmente lhe falou: Eu sou o ar, a terra, os pássaros, a vida, a morte, eu garoto, eu sou simplesmente um velho.


Pablo Danielli

Toquinho, musica para alma

'

quinta-feira, 14 de fevereiro de 2013

Tempo, times

Other times,
Hard times
Times controversial?
Times that are not
Like so many others!
Not even so cute
Or slowly ugly
As is expected from them all the time.

Pablo Danielli

Outros tempos,

Tempos difíceis,

Tempos controversos?

Tempos que não são

Como outros tantos!

Nem ao menos tão bonitos

Ou lentamente feios,

Quanto se espera deles o tempo todo.

Pablo Danielli

sábado, 9 de fevereiro de 2013

Among nights



Among nights


incognita doubt
I do not know beyond the sins
And neither seems to know.


But it is strangely intimate
Like time,
Inexplicably wasted.


Follow me and dissipates in doubt
Hidden amidst nights
It is the headquarters for light
What makes it so intrusive.


And dance with me!
Like a mad unknown
Testing my limits
Pain, pleasure!


Each empty made ​​for fear
The death so cold that surrounds me
It is love, life
Will ever have!



Pablo Danielli




Por entre noites


Incógnita duvida
Não me conhece além dos pecados,
E tão pouco parece saber.

Mas é intima estranhamente
Assim como o tempo,
Inexplicavelmente desperdiçado.

Acompanha-me e dissipa-se nas duvidas
Escondido por entre noites,
É a sede pela luz
que a torna tão intrusa.

E dança comigo!
Como uma louca desconhecida,
Testando meus limites
Da dor, do prazer!

A cada vazio feito pelo medo
A morte tão fria, que me cerca
É o amor, que a vida
Nunca vai ter!

Pablo Danielli

Corridors


Corridors

With so many lives exposed
Gambling, to learn,
What's the first falling.
With so plenty of vanity
Cracked Mirrors,
By half-truths
Hide lies,
The aisles.
Bocas delusional
In search of tranquilizers,
To escape from anything
Purporting to be a pain.
Abstract Figures in picture frames
Something related to the past,
A future that someday
Ever wished.

Pablo Danielli

Pelos corredores

Com tantas vidas expostas
Apostas, para saber,
Qual a primeira que cai.
Com tanta sobra de vaidade
Espelhos trincados,
Por meias verdades
Escondem mentiras,
Pelos corredores.
Bocas delirantes
Em busca de calmantes,
Para fugir de qualquer coisa
Que se apresente como a dor.
Figuras abstratas em porta retratos
Algo relacionado ao passado,
Um futuro que em algum dia
Já se desejou.

Pablo Danielli

sexta-feira, 8 de fevereiro de 2013

terça-feira, 5 de fevereiro de 2013

As flores, Flowers



Entre os arbustos

Que o vento

Envolvia,

As flores insistiam em

Nascer.

Teimosia sem fim

O sol

As aquecia,

A chuva saciava.

Mas,

O que é

Belo!

Ninguém tinha

Tempo, universo

Para olhar

Ou...

Gostar!

Pablo Danielli

Among the bushes
The wind
involved,
Flowers insisted
Sunrise.
Stubbornness endless
The sun
The heated,
The rain sated.
but,
What is
Belo!
nobody had
Time, universe
to look
Or ...
Like!

Pablo Danielli

Paciencia, Patience

Paciência, ciência
Arte de ter
Crer, rever.
Palavras, Gestos
Desgostos.
Palavras, lavadas
Recicladas, gastas
À toa.
Razões, ilusões
Temporárias,
Ciência de ter
Paciência.

Pablo Danielli

Patience, science
Art having
Believing revise.
Words, Gestures
Dislikes.
Words, washed
Recycled, worn
Idly.
Reasons, illusions
temporary
Science having
Patience.

Pablo Danielli

segunda-feira, 4 de fevereiro de 2013

Algumas palavras temporárias, Some words temporary

Some words temporary


• In times of all internet are wise and the ignorant are many.


• Protest if online, is paying! Needed to move the cause is not worth it.


• In times of sexual freedom is "cool" defend homosexuality and heterosexuality turned defend racism.


• It is very easy to talk badly hurt and through social networks, rather than proposing a broad debate with good arguments on any issue involving politics, football, religion and sexuality.


• In Brazil Carnival nobody escapes the tax spree!


• Politico has become synonymous with thief, or was it the opposite?


• Money purchase character, drive and his freedom.


• The word goes so far that is in the contract.


• The trend in government is not red, but changing names and meanings.


• Logo slogan is not "imagine the Cup", but: imagine if it works!


• Soon some animals are rare artifacts, antique furniture and honest politicians. (If it is not already).


• Brand of clothing worth more than sincerity.


• bacchanalian orgy and lost its meaning after it began novels.


• Gossip is good for cosmetic surgery to be normal and not to IBOPE culture!


Pablo DanielliAlgumas palavras temporárias



· Em tempos de internet todos são sábios e são muitos os ignorantes.



· Protesto se for online, está valendo! Precisou se mexer a causa não vale a pena.



· Em tempos de liberdade sexual é “cool” defender a homossexualidade e virou racismo defender a heterossexualidade.



· É muito fácil falar mal e ofender através das redes sociais, do que propor um debate amplo com bons argumentos, sobre qualquer tema que envolva politica, futebol, religião e sexualidade.



· No país do carnaval ninguém escapa da farra fiscal!



· Politico virou sinônimo de ladrão, ou seria o contrário?



· Dinheiro compra caráter, carro e a sua liberdade.



· A palavra vale até o momento que esteja no contrato.



· A moda no governo não é o vermelho, mas mudar nomes e significados.



· Logo o slogan não será “imagina na copa”, mas sim: imagina se trabalha!



· Logo mais artefatos raros serão alguns animais, moveis antigos e políticos honestos. (Se já não for).



· Marca de roupa vale mais que sinceridade.



· Orgia e bacanal perdeu o sentido depois que começou as novelas.



· Fofoca boa é de cirurgia estética, ser normal e cultura não dá ibope!



Pablo Danielli

sexta-feira, 1 de fevereiro de 2013

Significados, Meanings

Meanings


Meaning of ridicule
S.F. Mockery, mockery.
Jokes, satire.
Ancient folk song; burlesque ballads.


When observing the news and to browse through the newspapers, corruption cases take much of the headlines. Promises of investigation, punishment and changes take footers along with the credibility of our politicians.
It is no exaggeration to state that superficially Brazil is a nation with great calling for justice, just forget to do it. As forgets to clear the existing rot in Congress, as well as the people do not remember off the election season, as people quickly forget the names of the figures involved in the scandals, which kill thousands of people daily by deviations of funds health, education and security.
We are all familiar with the corruption, not shocked with such unscrupulousness, theft of different shapes became commonplace. The government is working like a machine without brake, announces cut on one side and the other increases, never loses. The use of our taxes is misapplied, it takes more benefits with themselves than with the investment required for the population.
We are all hostages of our silence, our passivity in the face of news that follow, repeat and so we eventually turn us into ridicule, puppets of a few who rely on the sale of many. The question that follows is whether the machine is not at its limit, the gear will support the more the misuse of money and if the population would already be on your tolerance threshold.
With amazing speed and incredible accuracy, politicians of various scales of government are denounced by dubious involvements. Defendants are dismissed from their posts and their successors have assumed office with a strong tendency to leave them in the same way.
Are doing little case of public opinion, are treating people as mere spectators of a novel endless speak scornfully of possible wrongdoing, even with overwhelming evidence and recordings. They laugh with certainty that nothing and absolutely nothing will happen to your image, and shall have the short memory of the Brazilian people.
The only certainty that seems to prevail is that when you open the newspaper headline is a politician involved, whether it is leaving only alderman, congressman, senator or minister. The same excuses, the same versions and same certainty that people soon forgot their names, their suspicions and once again the certainty of impunity in government at any level.


Pablo Danielli


Significados



Significado de Chacota 

s.f. Zombaria, mofa.
Gracejos, sátiras.
Antiga canção popular; trovas burlescas. 



Quando se observa os noticiários e ao folhar os jornais, casos de corrupção tomam grande parte das manchetes. Promessas de investigação, punição e mudanças tomam os rodapés juntamente com a credibilidade de nossos políticos.

Não é exagero afirmar que superficialmente o Brasil é uma nação com grande vocação para justiça, apenas esquece-se de fazê-la. Assim como se esquece de limpar a podridão existente no congresso, assim como não se lembra do povo fora da época de eleição, assim como as pessoas esquecem rapidamente os nomes das figuras envolvidas nos escândalos, que diariamente matam milhares de pessoas pelos desvios de verbas, na saúde, educação e segurança.

Estamos todos familiarizados com a corrupção, não ficamos chocados com tamanha falta de escrúpulos, o roubo de diferentes formas se tornou banal. O governo trabalha como uma maquina sem freio, anuncia corte de um lado e aumenta do outro, nunca perde. O uso de nossos impostos é mal aplicado, se gasta mais com benefícios próprios que com o investimento necessário para a população.

Somos todos reféns de nosso silencio, de nossa passividade diante das noticias que se seguem, de forma repita e acabamos por nos transformar em chacota, marionetes de poucos, que contam com a alienação de muitos. A pergunta que se segue é se a maquina não se encontra em seu limite, a engrenagem suportará o quanto mais do uso inapropriado do dinheiro e se a população já estaria em seu limite de tolerância.

Com a velocidade surpreendente e a veracidade incrível, políticos das mais variadas escalas do governo são denunciados por envolvimentos duvidosos. São acusados destituídos de seus postos e seus sucessores já assumem cargos com uma forte tendência a deixa-los da mesma forma.

Estão fazendo pouco caso da opinião publica, estão tratando as pessoas como meros espectadores de uma novela sem fim, falam com desdém de possíveis atos ilícitos, mesmo com gravações e provas contundentes. Eles riem com a certeza de que nada e absolutamente nada acontecerá com sua imagem, contando ainda com a memoria curta do povo brasileiro.

A única certeza que parece prevalecer é que ao abrir o jornal à manchete será de um politico envolvido, restando apenas saber se é vereador, deputado, senador ou ministro. As mesmas desculpas, as mesmas versões e a mesma certeza de que as pessoas logo esqueceram seus nomes, suas suspeitas e mais uma vez a certeza de impunidade no governo em qualquer escalão.



Pablo Danielli

Pesquisar este blog