Translate

sábado, 25 de abril de 2015

Mortalidade

O Cheiro selvagem,
aflora, aguça os sentidos,
fazendo arrepiar os pêlos.

Nua, crua, sentida como o nascer do sol,
um coração partido,
viril, másculo, sente o teu suor e cheiro.
Ergue tua voz, ecoa teu grito de prazer.

Sente as curvas dadas pela vida,
aproxima teu paraiso da mortalidade.
E nesta mistura torna-se história,
lenda, imortal e sedutora.
Pablo Danielli

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Pesquisar este blog